Página atual:Português > Tema >

Comércio exterior da China volta a crescer após dois anos de queda

2018-01-12 20:49:16

As importações e exportações comerciais da China atingiram um total de 28 trilhões de yuans em 2017, um crescimento de 14,2% em comparação com o ano anterior. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (12) pela Administração Geral da Alfândega do país. A autoridade também projetou um crescimento do comércio exterior em 2018.

O porta-voz da Administração Geral da Alfândega, Huang Songping, afirmou que o valor total das importações e exportações do país se recuperou em 2017, após dois anos de queda consecutiva. Em comparação com o ano anterior, as exportações apresentaram aumento de 10,8%, enquanto as importações cresceram 18,7%. Huang Sonping explicou o motivo do crescimento.

“A economia global registrou uma recuperação moderada e as demandas do exterior têm aumentado. Estatísticas da Organização Mundial do Comércio mostram que, nos primeiros três trimestres de 2017, as exportações das 70 principais economias globais cresceram mais de 9%, na comparação anual. Isso representa um aumento significativo. A economia interna da China mantém um crescimento estável, funcionando como base do aumento das importações. O governo implementou uma série de políticas e medidas para ampliar as importações, incluindo reduzir os impostos de alguns produtos importados. As autoridades também aperfeiçoaram as políticas financeiras e de imposto, assim como estimularam as importações de equipamentos tecnológicos avançados e de peças essenciais. Além disso, foram aplicadas políticas que facilitam o comércio, influenciando positivamente o crescimento das importações.”

Visto de uma perspectiva mais precisa, as importações e exportações da China cresceram ao longo dos quatro trimestres de 2017. As empresas não públicas registraram uma percentagem maior neste aumento. Quanto aos países e regiões parceiras, cresceram as importações e exportações chinesas em 2017 para a União Europeia, para os Estados Unidos e para os países da Associação das Nações do Sudeste Asiático, totalizando 40% do valor total do comércio exterior da China.

A taxa de crescimento das importações e exportações chinesas para os países ao longo do Cinturão e Rota superou em 3,6 pontos percentuais a do aumento total do comércio exterior. Além disso, o volume e os preços das commodities importadas cresceram, entre elas o minério de ferro, o petróleo cru e a soja. Huang Songping afirmou que o aumento dos preços decorre de vários motivos.

“A China é um gigante da fabricação. A produção precisa de matérias-primas e energia em grande quantidade e, portanto, importamos muito. O preço das commodities aumentou no mercado internacional. Por um lado, porque o preço depende da demanda. Por outro, muitas commoditiespossuem perfis financeiros.”

Fontes avaliam que foi a grande demanda da China que levou ao crescimento dos preços de commodities no mercado internacional. O especialista da Academia Chinesa de Cooperação Econômica e Comercial Internacional do Ministério do Comércio, Bai Ming, afirmou que a influência chinesa apenas refletiu as interações entre a oferta e a demanda. De acordo com o especialista, esta visão não é objetiva.

Páginas sugeridas



Top 10 MúsicasColetâneaMaisMais

  • TOP10 China
  • “This is Hyony” de Lee Jung-hyun

Vídeo

Either scripts and active content are not permitted to run or Adobe Flash Player version 11.4.0 or greater is not installed.

Get Adobe Flash Player
Trem de carga China-Ásia Central

China.com mais perto de você